Se lhe dissermos para pensar num brinquedo erótico, é muito provável que a primeira imagem a passar por sua cabeça seja a de um dildo. É que os dildos são os primeiros brinquedos sexuais da história. Pode-se dizer até que faz parte da biografia humana, da busca contínua pelo aumento do prazer sexual.

Mas você sabe o que é um dildo? E qual a diferença com um vibrador? Quais tipos podemos encontrar hoje em dia? Neste Guia, vamos explicar o que é o dildo, como ele pode contribuir para sua experiência sexual e, acima de tudo, o que você precisa saber para escolher o melhor produto para você.

O mais importante

  • O dildo é um brinquedo erótico por excelência, que existe desde o início dos tempos. Geralmente, imita um pênis e é usado para penetração, seja vaginal ou anal. Pode ser usado solo ou na companhia de um parceiro ou parceira. É recomendável o uso de um lubrificante.
  • Embora seja comum usar os termos “dildo” e “vibrador” indiscriminadamente, hoje a maioria dos especialistas diferencia o dildo do vibrador. Portanto, o dildo é considerado um brinquedo erótico sem vibração, que se destina à penetração, seja esta vaginal ou anal. Seu uso é puramente manual, fácil e intuitivo, sendo especialmente indicado para quem deseja encontrar novas sensações e prazeres.
  • O dildo pode estimular diferentes pontos-chave ou zonas erógenas pelo corpo. Na hora de comprar seu dildo, você deve levar em conta o estímulo que está procurando e o uso que deseja dar ao produto. O material com o qual é fabricado também é muito importante. Afinal, ele estará em contato profundo com as áreas mais íntimas do seu corpo.

Ranking: Os melhores modelos de dildo do mercado

Veja, a seguir, uma seleção cuidadosa dentre as inúmeras opções de dildo que você pode encontrar no mercado. Esta é uma lista variada, que busca oferecer diferentes opções entre tipos de materiais, formatos e tamanhos, trazendo uma breve descrição das principais características de cada produto.

1º – Dildo realista com camada de dupla intensidade, Lovetoy

Essa é a mais nova invenção do mercado erótico: um dildo realista fabricado em camada de dupla densidade para proporcionar um toque macio por fora, mas firme por dentro. Seu corpo memoriza a melhor posição para penetração e mantém o ajuste.

Com ventosa, escroto, veias salientes e revestimento em cybeskin, um material nobre que imita a pele humana, esse dildo foi feito para parecer um pênis de verdade, gerando mais conforto e realismo na penetração. Mede 24,5 cm de comprimento e 4 cm de diâmetro.

2º – Dildo realista com ejaculador, Lovetoy

Esse dildo da Lovetoy é do tipo realista e mede 20 cm de comprimento, dos quais 17,8 cm são penetráveis, e 4,6 cm de diâmetro. Fabricado em TPE, possui textura macia, glande saliente, veias saltadas, escroto pequeno e ventosa para fixação em superfícies lisas.

O grande diferencial deste dildo é que acompanha um ejaculador com capacidade para 60 ml de líquidos, que pode ser utilizado com o que a imaginação mandar: lubrificante, gel comestível, leite condensado…

3º – Dildo duplo realista, Sex Shop

Esse dildo duplo do tipo realista, também chamado de pênis havaiano, mede 28,8 cm de comprimento e 3,3 cm de espessura. Fabricado em gel, foi criado para penetração anal e vaginal simultânea ou entre duas pessoas.

De cor translúcida e macio, não possui base, mas conta traz saliências que imitam uma glande em cada uma de suas pontas ponta, sendo uma delas mais fina do que a outra. Possui também texturas que imitam as veias do pênis para oferecer mais prazer na penetração.

4º – Dildo grosso, Real Peter

Fabricado em PVC, o dildo realista da Real Peter é fabricado com alta qualidade e tecnologia, utilizando material atóxico, resistente, flexível e lavável. Com veias salientes e escroto, mede 21 cm de comprimento.

Seu grande diferencial é a espessura de 6 cm, o que o torna perfeito para quem tem preferência por um pênis mais grosso ou tem curiosidade de experimentar.

5º – Dildo realista com base para cinta, Sexy Fantasy

Esse dildo da coleção Pura Luxúria foi desenvolvido para ser o mais realista possível. Fabricado em látex macio e antialérgico, sob rígido controle de produção e qualidade, apresenta uma glande e veias salientes.

Medindo 19,7 cm de comprimento, dos quais 18 cm são penetráveis, e 4,4 cm de diâmetro, é especialmente indicado para uso com cinta peniana. É também uma excelente opção com bom custo-benefício para quem deseja comprar seu primeiro dildo.

Guia de Compras: O que você precisa saber sobre o dildo

Embora este seja o brinquedo erótico mais clássico de todos, que tem nos acompanhado desde o início dos tempos, hoje em dia ainda levanta discussões, incluindo dúvidas sobre o que deve ou não ser considerado um dildo.

A seguir, você encontra todas as explicações necessárias para sanar suas dúvidas e esclarecer o que de fato é um dildo, além de uma série de dicas sobre seu uso e cuidados.

Boca de mulher com batom vermelho.

O dildo é o brinquedo erótico mais antigo de que se tem notícia. (Fonte: Samborskyi: 106122900 / 123rf.com)

O que é um dildo?

O dildo é um brinquedo erótico, geralmente de aparência fálica (isto é, que imita um pênis). Ele é usado para penetração durante o sexo, seja sozinha (masturbação) ou acompanhada.

O dildo é usado tanto por mulheres, para inserção vaginal ou anal, quanto por homens, para penetração anal. Mas nada impede que também seja usado no sexo oral e para excitar outras áreas do corpo nas preliminares.

Talvez o mais importante seja entender o que não é considerado um dildo. Hoje em dia, a maioria dos especialistas – sejam sexólogos, redatores especializados em conteúdo sexual e brinquedos sexuais ou profissionais de sex shop – concorda que o dildo é um brinquedo erótico que não apresenta vibração. Aqueles que vibram se enquadram na categoria dos vibradores.

Henrry MillerRomancista

“O sexo é uma das nove razões para a reencarnação, as outras 8 não são importantes.”

Provavelmente, quando pensa num dildo, você deve imaginar um pênis de plástico, por assim dizer. No entanto, hoje já existem modelos de dildo dos mais variados formatos e fabricados com diferentes materiais. São desde opções mais modernas – gel, látex, plásticos e silicone – aos mais clássicos como metal, vidro, madeira, cerâmica ou pedra polida.

No Brasil, a palavra “consolo” costuma ser usada para se referir tanto ao dildo quanto aos vibradores. Mas, hoje, esse termo está se atualizando e deveria cair em desuso por sua conotação negativa. Os brinquedos eróticos não devem confortar ou aliviar uma aflição, pelo contrário, devem provocar diversão e a busca por novas sensações e prazeres sexuais.

Como se usa um dildo?

Antes de usar o produto pela primeira vez, lave-o bem com água e sabonete ou detergente neutro. Você também pode usar algum produto específico para a limpeza de brinquedos eróticos.

Aplique um lubrificante, especialmente se você for usar o dildo para penetração anal, pois a vagina se lubrifica sozinha, mas não o ânus. Portanto, passe um pouco de lubrificante no dildo e espalhe bem sobre toda a superfície do produto antes da penetração.

Quanto ao modo de uso, este não poderia ser mais fácil e intuito, esteja você sozinha ou acompanhada. Você decide como inserir, os movimentos que vai fazer, a velocidade e a forma de penetração. É questão de experimentar e descobrir o que lhe dará mais prazer. No sexo, não há nada melhor que o autoconhecimento e, é claro, uma pitada de imaginação.

Imagem de mulher com as pernas lisas.

Existe uma ampla variedade de dildos hoje em dia, que não se limitam ao uso manual. Você pode escolher o modelo que melhor atenda às suas necessidades. (Fonte: Puhhha: 60240778/ 123rf.com)

O dildo não se limita ao uso manual. Muitos modelos vêm com uma ventosa, que serve para prender o produto numa uma superfície lisa, como uma cadeira ou parede, por exemplo. Dessa forma, você pode tentar a penetração sem as mãos. Não precisa ficar segurando, basta escolher uma posição para a penetração e aproveitar a parte boa.

Graças à sua base mais larga, alguns dildo podem ser presos a uma cinta. Dessa maneira, a mulher consegue penetrar outra como se fosse homem. A cinta peniana também permite uma prática sexual muito moderna, que consiste na inversão de papeis entre homem e mulher. Ou seja, é a mulher que penetra o homem.

Quais vantagens e benefícios um dildo pode trazer para sua sexualidade?

Os brinquedos eróticos fazem bem para a saúde sexual. De fato, cada vez mais profissionais, sexólogos e ginecologistas recomendam seu uso, tanto para mulheres quanto homens. Eles chegam a ser usados até no tratamento de algumas disfunções sexuais. Veja, a seguir, os benefícios do dildo e suas vantagens em relação a outros brinquedos eróticos.

Vantagens Desvantagens
Aumenta o autoconhecimento sexual. Ajuda a conhecer a resposta do corpo a diferentes estímulos eróticos É preciso saber lavá-los e guardá-los bem
Aumenta a libido e serve para ativar o desejo. É uma espécie de fetiche que ajuda a descobrir novos aspectos sexuais, sozinha ou acompanhada Embora possa estimular outras zonas erógenas, seu uso básico é para penetração anal ou vaginal, diferente da estimulação oferecida por outros brinquedos sexuais
Facilita a busca de novas sensações e prazeres, além de ajudar a alcançar o orgasmo, sozinha ou acompanhada
Melhora a saúde sexual, em geral, e com o aumento da libido, pode ajudar a aumentar a lubrificação vaginal natural
É um instrumento terapêutico muito útil no tratamento do vaginismo, pois ajuda na dilatação e, com a prática, possibilita a penetração e a extração de prazer desta
Silencioso, sem vibração
Não usa pilha
A experiência do uso se assemelha muito à penetração com um pênis de verdade

O dildo apresenta algum risco para a saúde?

A higiene sexual é muito importante para evitar infecções e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). No caso do dildo, embora o risco de contrair uma doença seja muito pequeno, se o produto não for devidamente limpo antes e depois de cada uso, pode haver risco de vaginose bacteriana, infecções urinárias e clamídia.

Se você usar seu dildo para penetração anal, não o utilize na região genital sem primeiro lavá-lo bem. Opcionalmente, você pode colocar um preservativo no dildo para depois descartar. As bactérias do ânus, quando em contato com a região genital, podem causar vaginose e outras infecções do trato urinário. Isso se aplica tanto ao uso individual como em casal.

foco

Você sabia que, em 2005, foi descoberto na Alemanha o primeiro descoberto da história? A peça de 20 cm de comprimento e 3 cm de largura, era feita de pedra polida.

Caso compartilhe seu dildo, lembre-se do que foi dito sobre a higiene, não importa se é um parceiro habitual ou eventual. Se quiser compartilhar com um amigo ou amiga, é importante lavar bem o produto e até desinfetá-lo para evitar doenças sexualmente transmissíveis, como o HPV (papilomavírus humano) ou herpes.

Por fim, mas não menos importante, o dildo pode ser usado sem nenhum problema durante a gravidez. Apenas em casos de gravidez de risco ele é contraindicado, assim como o uso de outros brinquedos eróticos. O mais indicado é perguntar à sua ginecologista, pois ela saberá orientar você melhor sobre a segurança de uso do dildo durante a gravidez.

De quais materiais é feito o dildo?

Atualmente, existem dildos de todos os materiais. Tem os materiais que podem ser considerados clássicos: metal, vidro, madeira, cerâmica e pedra, com alguns deles sendo fabricados à mão. Entre os materiais modernos, o mais utilizado e que merece destaque é o silicone médico, mas existe também o gel, látex, PVC e outros plásticos.

Hoje, a maioria dos fabricantes usa materiais seguros e testados, que são livres de ftalatos. Acredita-se que os ftalatos, substâncias químicas adicionadas a alguns materiais para torná-los mais flexíveis, sejam potencialmente perigosos para a saúde.

Os brinquedos eróticos fabricados atualmente costumam ser livres de ftalatos, mas não custa nada dar uma conferida antes de comprar o seu.

Aqui está uma lista dos materiais mais usados na fabricação do dildo e suas principais características:

  • Gel: É muito flexível. É macio ao toque, embora às vezes seja pegajoso. Não é inodoro. Por ser um material muito poroso, dificulta a limpeza e a higiene. Tem preço mais econômico e eventualmente se estragam rapidamente com o uso. É utilizado com lubrificante à base de água.
  • PVC: Bastante flexível, porém firme. Macio ao toque. Não é inodoro e também é poroso, o que dificulta sua perfeita higiene ao longo do tempo. É durável, mas eventualmente se estragam com o uso. Embora possa ser usado com lubrificantes à base de silicone, é recomendável aqueles à base de água.
  • TPE (elastômero termoplástico) e TPR (borracha termoplástica): Macio ao toque, flexível, porém firme. Não é inodoro e, apesar de também ser poroso, é muito menos que os materiais anteriores. É mais higiênico e durável, mas se não receber os devidos cuidados, também acaba se estragando. Deve ser utilizado com lubrificantes à base de água.
  • Silicone: Flexível, porém firme, é muito macio ao toque. Não é poroso, o que facilita sua higiene e desinfecção. É inodoro e hipoalergênico, desde que o silicone seja de qualidade médica. Dura muito tempo em perfeitas condições, apesar do uso. Deve ser utilizado com lubrificantes à base de água.
  • Vidro: É duro e muitos modelos vêm com estrias e ondulações. Pode ser aquecido ou resfriado para aumentar a estimulação através da temperatura, exerce uma firme pressão nas áreas íntimas. É inodoro, não poroso e fácil de limpar e desinfetar. É muito durável, porém frágil contra quedas e pancadas. Pode ser usado com qualquer tipo de lubrificante.
  • Metal: Em geral, de aço inoxidável. É duro e costuma ter um formato curvo para estimular diferentes pontos com pressão. Pode ser aquecido e resfriado para brincar com as sensações da temperatura. É inodoro, não poroso e muito fácil de limpar e desinfetar. Dura quase uma eternidade. Pode ser usado com qualquer tipo de lubrificante.
  • Cerâmica: É duro e, em muitos casos, oco por dentro, de modo que pode ser preenchido com água gelada ou quente para provocar estimulação através da temperatura. É inodoro, não poroso e fácil de limpar. É muito durável, porém frágil contra quedas e pancadas. Pode ser usado com qualquer tipo de lubrificante.

Como você deve lavar, guardar e cuidar do seu dildo?

O dildo foi especialmente criado para a penetração nas regiões mais sensíveis e íntimas do corpo: o ânus e a vagina. Portanto, sua higiene é muito importante. É preciso lavar bem o produto com água e sabonete ou detergente neutro, antes e depois de cada uso. Isso evitará qualquer risco de infecção e aumentará a durabilidade do seu brinquedo em perfeitas condições.

O dildo fabricado com materiais não porosos – como silicone, vidro, metal ou cerâmica – pode ser facilmente lavado, devendo ser desinfetado periodicamente com álcool ou esterilizado em água fervente por alguns minutos. Em seguida, você deve secar o produto com um pano limpo. Já o dildo de silicone deve ser deixado secar naturalmente.

Mulher em cima de cama.

É importante limpar o dildo para evitar o risco de infecções. (Fonte: Andrey Kiselev: 115529341 / 123rf.com)

O dildo de materiais porosos – como gel, PVC, TPE/TPR – também deve ser limpo com água e sabonete ou detergente neutro, mas não pode ser esterilizado nem desinfetado com álcool, pois não suporta altas temperaturas e pode sofrer alguma reação química.

Mesmo usando um produto de limpeza antibacteriano específico para brinquedos eróticos, micro-organismos podem se acumular nos poros do produto com o passar do tempo.

Portanto, é melhor deixar esse tipo de dildo secar naturalmente. Independentemente de ser poroso ou não, é conveniente guardar seu separadamente, em sacos de pano individuais e, de preferência, em local fresco. O calor excessivo pode acabar degradando os produtos mais porosos. Seguindo essas dicas, você vai poder conservar seus brinquedos em perfeitas condições.

Quais tipos de dildo existem?

Se entrar em qualquer sex shop ou fizer uma busca na internet, você vai encontrar muitos dildos diferentes, por tamanho, formato e material. Embora os mais conhecidos sejam os realistas (que imitam um pênis real), é possível encontrar tipos diferentes modelos de dildo de acordo com sua função.

  • Realista: Do tipo que imita com realismo um pênis. Em muitos casos, é moldado a partir de um membro real, que pode ser, por exemplo, de um ator pornô. Imita a glande, as veias e, por vezes, os testículos. Alguns modelos até possuem um sistema que ejacula um líquido especial.
  • Não realista: Pode-se incluir aqui todos aqueles que não são realistas. É encontrado nas mais variadas formas. Alguns imitam formas naturais, que vão desde vegetais a animais ou partes de animais. Outros têm formas fantasiosas ou abstratas.
  • Para estimulação do ponto G: É desenhado especialmente para estimular o ponto G, que é quase mítico, mas um dos mais sensíveis do interior da vagina. Possui uma forma curva para poder atingir o ponto G durante a penetração.
  • Anal: É especialmente desenhado para o sexo anal. De ponta mais fina, tem a base mais larga para evitar sua introdução completa, impedindo que fique retido no interior do ânus.
  • Para estimulação do ponto P: É especialmente desenhado para estimular o ponto P masculino, isto é, a próstata através da penetração anal.
  • Duplo: É criado para estimulação dobrada. Pode ser do ânus e da vagina na mesma pessoa, ou seja, uma dupla penetração. Mas também entre duas pessoas, estimulando ambas ao mesmo tempo.
  • Cinta: Trata-se de uma cinta peniana para que a mulher possa penetrar o homem ou outra mulher por via anal ou vaginal.

Dildo ou vibrador, qual é melhor?

À essa altura, você deve estar se fazendo esta mesma pergunta. A verdade é que a resposta não é simples. Antes de de mais nada, é questão de escolha pessoal: depende da estimulação que você procura, das sensações que deseja ter e, em última análise, suas preferências e gostos sexuais.

Na tabela comparativa a seguir, você encontra as principais características de ambos.

Critério Dildo Vibrador
Pilha Não utiliza nenhuma pilha, seu uso é puramente manual Utiliza pilhas
Discrição Não tem nenhum componente mecânico e, portanto, não faz barulho Por ter um motor, produz ruído quando ligado. Embora alguns modelos sejam extremamente silenciosos
Tipo de estimulação Especialmente desenvolvido para penetração e estimulação manual da vulva, vagina e ânus. Embora também possa ser usado para sexo oral e preliminares Pode ser usado para estimular a maior parte das zonas erógenas do corpo, graças à vibração. Muitos são próprios para a estimulação do clitóris, o ponto mais sensível e orgásmico das mulheres
Nível de estimulação A estimulação é manual e, portanto, depende da capacidade de cada um. A experiência é mais próxima do sexo convencional com parceiro A estimulação é mais intensa e potente, principalmente no clitóris, sendo mais fácil atingir o orgasmo

Resumindo, o vibrador oferece maior estimulação, especialmente no ponto mais sensível da anatomia sexual feminina: o clitóris. Em contrapartida, o dildo proporciona uma experiência mais próxima do sexo tradicional e seu uso é mais convidativo à fantasia e ao uso da imaginação, algo que também é muito importante no sexo.

Critérios de Compra

Dado o número de opções de materiais, tipos, formatos e tamanhos disponíveis no mercado, escolher um dildo não é uma tarefa simples. Antes de mais nada, vale a pena se perguntar o que você realmente está procurando, o nível de estímulo e experiência, e deseja usar seu brinquedo. Veja os critérios apresentados abaixo.

  • Material
  • Tamanho
  • Uso e estimulação
  • Formato e textura
  • Orçamento
  • Estética

Material

Como já foi explicado, o material do dildo é muito importante, seja por questão de higiene e durabilidade do produto ou pela experiência que esse brinquedo pode oferece sexualmente falando.

Os materiais mais baratos se degradam mais com o uso e exigem mais cuidados quanto à higiene, porém são flexíveis e com um toque mais semelhante ao de um pênis de verdade.

O dildo de silicone oferece um excelente equilíbrio entre durabilidade, higiene e economia, além de uma experiência muito próxima do sexo tradicional, com um membro masculino de “carne e sangue”. Este é também o mais usado hoje em dia. Quando devidamente cuidado, pode durar muito tempo e proporcionar grandes momentos de prazer.

View this post on Instagram

O Cayona é um mini vibrador que possui um motor super potente que estimula o clitóris e o ponto G na penetração. No caso de penetração anal, estimula também a próstata. Um vibrador versátil, em cores suaves e formato floral. Dois pontos de contato: G e clitóris. 6 ritmos e 6 velocidades diferentes de vibração. Corpo de silicone firme, porém flexível. Na linha de mini vibradores escolha entre uma leve sensação de cócegas ou um burburinho sério com estes mini vibradores recarregáveis, movidos à bateria com carregador interno integrado ao brinquedo (Sistema CLICK “N” CHARGE). Incluso carregador magnético USB. Produto revestido com silicone de grau médico e à prova de água. Gostou deste produto? Nós reservamos pra você. É só chamar no WhatsApp: (62) 99139-0150. . 📍 Loja Física – Fetiche Sexy (62) 3091 5412 . 📍Rua Ipameri n.270 St. Campinas Goiânia – GO. . 🚚ENVIAMOS PARA TODO BRASIL. 📦EMBALAGEM DISCRETA. #funfactorybrasil #vibradoresfeminino #vibradoresdeluxo #vibradores #produtoseroticos #produtossexshop #goiania #sexshop #fetichesexy

A post shared by Fetiche Sexy Boutique Sensual (@fetichesexy) on

Os materiais mais clássicos, como metal, vidro e cerâmica, são muito duráveis, embora os dois últimos sejam mais frágeis. Eles são muito higiênicos e fáceis de cuidar, de modo que é possível tê-los por quase por toda a vida se você quiser. No quesito prático, eles são mais rígidos, mas isso não significa que sejam menos prazerosos.

Tamanho

O tamanho também é importante na escolha de um dildo. No mercado, é possível encontrar modelos pequenos, médios e grandes, alguns extra grandes, quase que gigantescos! E não apenas em comprimento, mas também em espessura ou diâmetro. O mais normal é que tenham entre 15 e 20 cm de comprimento e de 3 a 5 cm de diâmetro.

Claro que a questão do tamanho é muito pessoal. É você a entendida do assunto, aquela que saber dizer qual tamanho é melhor para chegar ao prazer tão sonhado. Se pretende comprar um dildo para sexo anal, mas ainda não tem muita experiência no assunto, é sempre melhor começar com um de tamanho pequeno.

Uso e estimulação

O tipo de uso e estimulação também são muito importantes nessa escolha. Você deve escolher seu dildo pensando se pretende usá-lo para estimular algum ponto específico, apenas na penetração vaginal, ou para explorar os prazeres anais. Se quiser experimentar a penetração sem as mãos, você pode escolher um dildo com ventosas.

Como foi explicado anteriormente, se quiser um dildo para uso anal, escolha um modelo que tenha a base mais ampla ou mesmo um plug anal para evitar possível problemas. Se estiver em busca do ponto G, escolha um modelo com curvatura e tamanho próprios para chegar pressionar essa região.

Se quiser estimular o ânus e a vagina ao mesmo tempo, escolha um modelo de dupla penetração. Existem produtos especiais para isso, com dois dildos em paralelo para penetrar nos dois orifícios. Também é possível encontrar dildos duplos, sem base, com duas extremidades iguais; esse modelo é ideal para compartilhar, dando prazer a duas pessoas ao mesmo tempo.

Mas se a intenção é provocar o prazer masculino através da próstata, escolha um dildo específico para ele, com uma curvatura especialmente criada para estimular o ponto P masculino. Para a penetração inversa, da mulher no homem, existem dildos próprios para uso nas cintas penianas.

Formato e textura

Há também uma enorme variedade de formatos e texturas no mercado. O formato e a curvatura de certos modelos de dildo são feitos especialmente para atingir regiões específicas, como é o caso do ponto G nas mulheres e o ponto P nos homens. Para o prazer anal, o dildo com textura ondulada e saliências é ideal para expandir o ânus gradualmente.

As texturas  ao longo do corpo do dildo servem para estimular zonas mais erógenas como, por exemplo, as terminações nervosas da vulva, proporcionando novas sensações. É o mesmo princípio dos preservativos texturizados. Mas claro que tudo é uma questão de gosto e talvez seja preciso experimentar.

Orçamento

Seja qual for o produto, esse critério é mesmo importante. No caso do dildo, por exemplo, você encontra alguns modelos de preço bastante acessível, mas que talvez não tenham a qualidade muito boa. No fim, é tudo uma questão de saber equilibrar a qualidade do produto com o orçamento que você tem para investir em seu próprio prazer.

Se essa é a primeira vez que você compra um dildo sem nunca ter experimentado, os modelos mais baratos são uma boa opção para conhecer o produto. Sua durabilidade será muito menor, mas ninguém melhor que você para saber o que pode ou não pode pagar.

Algumas marcas produzem o dildo manualmente, por encomenda, o que os torna mais exclusivos e aumenta seu preço.

Mulher com batom e unha vermelhos.

O dildo pode ser fabricado em diversos materiais. (Fonte: Subbotina: 25764246 / 123rf.com)

Estética

A estética do dildo certamente não influencia seu desempenho em termos de prazer. No entanto, é um fator que precisa ser levado em consideração antes da compra. Hoje em dia é possível encontrar dildo inspirados na imagem de pessoas famosas e históricas ou no mundo dos quadrinhos. Essa fantasia pode ajudar a estimular a imaginação.

Os de materiais clássicos, como vidro, metal, madeira ou pedra, são de grande beleza, quase decorativos. O dildo foi criado principalmente para o sexo, sendo usado como estímulo sexual, mas se você quiser e tiver condições financeiras para isso, por que não experimentar o mais puro prazer estético?

Resumo

O dildo é um complemento sexual, um brinquedo que tem acompanhado a humanidade desde praticamente o início dos tempos. É um brinquedo erótico por excelência, e seu uso não poderia ser mais fácil e intuitivo. Você pode até pensar que ele só serve para uso solo, mas cada vez mais parceiros têm utilizado em casal.

Embora haja inúmeras opções a escolher, o mais importante é experimentar diferentes formatos, tamanhos e tipos de estimulação que o dildo tem a oferecer. Este é, sem dúvidas, um dos brinquedos mais indicados para estimular o desejo e descobrir novas sensações, seja sozinha ou acompanhada. É também uma boa maneira de experimentar o sexo.

Se você gostou deste Guia e achou informativo, compartilhe nas redes sociais ou deixe um comentário. Obrigada!

(Fonte da imagem destacada: Sakkmesterke: 93325541 / 123rf.com)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
48 Voto(s), Média: 5,00 de 5
Loading...